Buscar

“Vai Passar”, sem dúvidas é a frase que mais ouço nos últimos — o que? – 15 meses? Já perdi a conta do tempo. já perdi as contas de quantas vezes vejo, ouço, repito: "Vai Passar". ontem mesmo, li essa frase meio esgarranchada escrita à mão na sacolinha de papel que chegou com o delivery. já hoje, vi as duas palavras bem grandes estampadas num outdoor. no meio da rua. numa propaganda de motel.


“Vai Passar”, frase que tantas vezes escutei minha mãe repetindo. ou enquanto ela bordava cantarolando aquele samba do Chico que ela adora, ou outras tantas vezes só pra me consolar numa dessas situações que, mesmo quando pequenas, fazem nublar a rotina e o coração da gente, sabe?


“Vai Passar”, sentimento que aprendi no exato momento que entendi o quanto uma câmera fotográfica pode ser, na nossa mão, uma máquina do tempo. cada segundo é um só, sabemos. seus acontecimentos também. e também as pessoas neles. e junto, o que elas nos fazem sentir. tudo. tudo passa e não volta mais. mais nunca. a menos que você tenha feito uma foto. daí tudo pode voltar. tipo mágica. e ficar, já viu? por todo o tempo do mundo até que a memória aguente lembrar. quantas e quantas vezes enquanto os olhos puderem ver.


“Vai Passar”, sabia? e vai mesmo. tudo.

mas tira uma foto antes, viu?

não esquece.


uma foto é um lembrete e o importante é: deve ser mantida ao alcance dos olhos. penduradas nas paredes, arranjadas nos murais, expostas em porta-retratos.


uma foto é um presente que seu "eu do passado" manda pro seu "eu do futuro". um bilhetinho de amor que te lembra por onde você já passou: sua evolução, sua força, sua beleza, os traços que o tempo vai desenhar na sua pele. a fotografia é uma máquina do tempo.


se olhar ampliada numa moldura bonita não é sinal de egocentrismo, nem narcisismo, nem qualquer outro “-ismo” que te ensinaram usar pra desmerecer quem você é: se permitir se ver belíssima em uma foto é fazer ressoar a sua história, se lembrar merecedora e se reconhecer com admiração. uma foto é um presente.


bora fazer isso por você? eu topo.


pra fotografar comigo, me escreve ♡

Meu número: (34) 99206-1372



deixar tudo pra trás é utopia: coisa de filme ou coisa de coach.


como que num museu, quando você se olha no espelho o que reverbera é uma coleção do que foram te dizendo sobre você: os olhos do seu pai, o quadril da sua vó, “o temperamento da pior pessoa que já existiu em toda a nossa família”. a cabeça dura. o jeito de andar. todos aqueles defeitos que te fazem revirar o estômago... e, de repente eu te pergunto, o que é seu?


no que você se reconhece? do que ninguém te ensinou a gostar e mesmo assim te faz sentido? o que acontece quando você encara profundamente aquilo que te disseram que era feio? é feio?


deixar tudo pra trás é utopia, mas reconhecer, avaliar, separar e escolher quais relíquias vão ficar no hall de entrada do seu museu de si mesma, é saudável, inteligente e tem cara de vida real.

ce topa?