sobre "deixar pra trás".



deixar tudo pra trás é utopia: coisa de filme ou coisa de coach.


como que num museu, quando você se olha no espelho o que reverbera é uma coleção do que foram te dizendo sobre você: os olhos do seu pai, o quadril da sua vó, “o temperamento da pior pessoa que já existiu em toda a nossa família”. a cabeça dura. o jeito de andar. todos aqueles defeitos que te fazem revirar o estômago... e, de repente eu te pergunto, o que é seu?


no que você se reconhece? do que ninguém te ensinou a gostar e mesmo assim te faz sentido? o que acontece quando você encara profundamente aquilo que te disseram que era feio? é feio?


deixar tudo pra trás é utopia, mas reconhecer, avaliar, separar e escolher quais relíquias vão ficar no hall de entrada do seu museu de si mesma, é saudável, inteligente e tem cara de vida real.

ce topa?